domingo, 19 de abril de 2015

[Filme] Caminhos da Floresta




Caminhos da floresta: Envolvido num bosque de de expectativas, o filme só consegue andar em círculos


   Muito aguardado desde do seu anuncio, "Caminhos da Floresta"(Into the Woods, 2014) acabou tendo sua estréia, inicialmente prevista para o Natal nos EUA, adiada e chegou aos cinemas brasileiros somente no final de janeiro. Amparada por nomes consagrados e outros em ascensão, a mais recente adaptação musical da Brodway para as telas se arrisca em misturar clássicos contos de fadas sobre a direção do experiente Rob Marshall. Consagrado por obras do mesmo genêro como "Chicago" e "Nine", para equilibrar a trama o diretor recorre a alguns personagens comuns, tais como um padeiro e sua esposa, e a outros nem tão convencionais como a amargurada bruxa interpretada por Maryl Streep.
   Entre os encontros e desencontros da história, os olhos do espectador tendem a brilhar face a exuberância das cores e suntuosidade dos ambientes. Infelizmente, enquanto na maioria do longa o perfeccionismo técnico ofusca a mágica que deveria fluir do roteiro, existem pontos isolados onde a produção carece de bom senso estético, sendo a cena em que Chapeuzinho está na barriga do Lobo Mau um destes, quando a película beira o amador. Além disso, a história é tão cansativa e cheia de reviravoltas que o espectador tende a logo perder o interesse, principalmente nos nossos cinemas, onde o filme foi disponibilizado apenas na versão legendada.
   A trilha-sonora, por sua vez, é sem dúvidas eficiente, embora nem sempre necessária. Bem como os que previamente assistiram Johnny Depp cantar em "Sweeney Todd", quem viu "Mamma Mia" não deve surpreender-se ao ver Streep soltar o vozeirão,  logo a surpresa do musical fica em volta do belo vocal de Emily Blunt. Mas vozes bonitas não salvam roteiros confusos: Cansativos, burocráticos e irregulares, os grandiosos "caminhos" propostos pelo titulo se cruzam e embaraçam-se, formando um emaranhado similar a um labirinto, onde ao findar das cantorias não somos levados a lugar algum.

AVALIAÇÃO: Regular

RECOMENDAÇÃO: O filme não é necessariamente recomendado para os pequeninos. Além da longa duração, a trama é recheada momentos amargos que frustam em cheio quem assiste esperando um tipico final feliz!

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por comentar! Sua participação é muito importante para nós.

Navegue

Tecnologia do Blogger.

Receba as novidades

Seguidores

Translate

Google+

Releia

FanPage

Julliany está lendo:

VEP no Twitter